Recuperação na construção civil aumenta a geração de empregos em Foz


Uma leve recuperação na economia fez com que Foz do Iguaçu encerrasse o mês de julho com um saldo positivo na geração de empregos. Dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que o município admitiu 2.535 pessoas e demitiu 2.469, fechando o período com 66 contratados com carteira assinada. O resultado, apesar de sutil, foi bem mais animador do que o de junho, quando houve a perda de 345 empregos.
O início de grandes obras, como a o viaduto entre a BR-277 e a Avenida Costa e Silva, foi um dos fatores que contribuiu para alavancar as contratações na fronteira. O aumento de vagas nessas áreas animou os moradores e movimentou a Agência do Trabalhador, empresa responsável pelas intermediações entre empregadores e empregados. 
O começo da construção da segunda ponte entre Brasil e Paraguai e projetos para a duplicação da BR-469 e construção da Perimetral Leste elevam ainda as expectativas para a construção civil, que deve dobrar o número de empregos nos próximos meses na Tríplice Fronteira. 
Outras áreas envolvendo os setores de turismo e serviços também apresentaram uma melhora significativa e tiveram grande procura. De acordo com diretora de Desenvolvimento Econômico e Integração Regional, Kelyn Trento, a Agência do Trabalhador atende por dia uma média de 115 pessoas em busca de oportunidades. 
Todos os que procuram a empresa são encaminhados para vagas de empregos de acordo com o interesse pessoal e a disponibilidade de vagas. No entanto, este passo não garante a contratação, que depende das qualificações pessoais do candidato. Em boa parte dos casos, falta formação ou experiência ao interessado. 

As informações são do portal GDia.
Foto: arquivo GDia