Há seis meses no cargo, Silva e Luna criou uma nova Itaipu


 Desde que assumiu o cargo de diretor-geral brasileiro da Itaipu, o General Joaquim Silva e Luna adotou uma política de austeridade que mudou a gestão da usina e passou a ser exemplo de boa administração no setor público.

As principais mudanças foram em relação ao uso dos recursos da empresa. Os investimentos em patrocínios e convênios sem aderência à missão da binacional foram realocados para obras estruturantes como, por exemplo, a construção da Ponte da Integração Brasil-Paraguai. Só nessa obra serão investidos R$ 463 milhões. A obra inclui a Perimetral Leste, que ligará a ponte entre o Brasil e o Paraguai à BR-277.

O dinheiro economizado também vai dar um novo status ao Hospital Ministro Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu (PR).

Itaipu também vai contribuir para transformar o Aeroporto Internacional das Cataratas, de Foz do Iguaçu, no primeiro terminal aéreo sustentável do País, conforme convênio assinado com a Infraero.

As informações são da Itaipu Binacional.

Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu