Produtividade do trabalho tem pior desempenho desde 2016


 A produtividade do trabalho no Brasil recuou 1,7% no segundo trimestre de 2019, ante o mesmo período de 2018. Esse é o pior resultado desde o primeiro trimestre de 2016, quando a queda foi de 2,2%. Esse levantamento indica a relação entre a quantidade de produtos ou serviços produzidos e o tempo e recursos necessários para essa produção. Os números são do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) e foram divulgados pelo Estadão.

 

Também houve piora no desempenho de produtividade por hora trabalhada no segundo trimestre deste ano. O recuo foi de 1,1% em comparação com os três primeiros meses. Nas três grandes atividades econômicas houve diminuição: -2,5% na agropecuária, -0,7% na indústria e -1,8% nos serviços. Neste último setor, a produtividade por hora trabalhada recua há 21 trimestres consecutivos.

 

Para o pesquisador do Ibre/FGV, Fernando Veloso, houve um forte aumento no número de pessoas trabalhando no período de um ano, mas o movimento não foi acompanhado por um crescimento do valor adicionado na mesma magnitude. “O avanço da ocupação via informalidade pode explicar o fenômeno, uma vez que o setor informal é menos produtivo que o setor formal”, disse.

 

Gazeta do Povo

Foto: SPENCER PLATT/AFP