PTI reestrutura foco com ênfase em pesquisa, tecnologia e desenvolvimento


 A gestão da usina de Itaipu passou por uma grande reestruturação desde a entrada do general Joaquim Silva e Luna à frente do comando do lado brasileiro da binacional no final de fevereiro. No Parque Tecnológico Itaipu, mantido pela hidrelétrica, essa mudança seguiu diretriz semelhante com a chegada do general Eduardo Castanheira Garrido Alves, diretor-superintendente, que há dois meses está à frente da instituição. Missão: tornar o foco do parque mais voltado para negócios, pesquisa e tecnologia sustentável.


Há dois meses no cargo, completados no domingo (8), general Garrido adotou medidas para uma atuação mais comprometida com resultados. Projetos sem alinhamento à missão da Itaipu Binacional (que é gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai) foram descontinuados, e um novo planejamento estratégico está em andamento. 


No início de 2019, o Parque Tecnológico tinha 169 projetos em execução, muitos deles estavam sendo finalizados e outros que não estavam aderentes aos desafios da nova proposta do parque. Depois de um estudo minucioso de viabilidade e de atendimento às necessidades de suprir Itaipu com tecnologia e soluções, 97 iniciativas identificadas como essenciais foram mantidas. O mapeamento ainda não foi totalmente concluído, mas o que se espera é que o parque tenha sustentabilidade em todas as frentes. 

  
GDia

 
Fotos: PTI